Radio Evangélica

domingo, 26 de agosto de 2018

Se depender da mentalidade do brasileiro o Brasil continuará sendo um País atrasado

O Brasil dificilmente será um País desenvolvido, se depender da mentalidade brasileira será um eterno País continental, repleto de riquezas, mas com um povo pobre. Muitos podem falar que a culpa é dos políticos, até concordo. Mas será mesmo que esse é o problema?
Fazendo uma pequena análise em relação ao que vejo no dia a dia:
Temos um povo que fala do desemprego, mas ao conseguirem o emprego passam a enxergar o patrão como “opressor” que quer enricar “às custas do seu trabalho” e ainda falam que o patrão não trabalha. É um tipo de empregado que não tem amor nenhum pelo trabalho, o único compromisso que tem é com o salário, mesmo sabendo que isso é um direito seu e que independente de desempenhar  um bom trabalho ou não  . Mas onde fica o profissionalismo? É normal ouvir alguém falar que escolhe uma profissão pelo simples fato dessa lhe proporcionar uma boa renumeração e não a realização profissional. Não se preocupam na qualidade do seu trabalho. Procuram fazer o serviço com qualidade em muitas vezes para agradar o patrão e não ser demitido. E sempre critica um colega de profissão que é mais competente e ama o que faz e quer ver a empresa que trabalha desenvolver, para que o seu emprego seja mantido com a empresa tendo lucro e como consequência ajudar o País e o profissional se sente realizado e satisfeito.
Outro grande problema que vemos em nosso País é que a maioria da população tem como meta principal ser funcionário público (principalmente concursado), pergunta-se: Será que é para servir ao publico com qualidade? Na maioria das vezes não. O que verdadeiramente quer é ter um emprego que pague muito bem, repleto de regalias, onde tudo é bancado pela população e não se preocupa em prestar um bom serviço. Lembrando que o povo é seu verdadeiro patrão. Mas o objetivo principal não é só o alto salário, nem as regalias e sim a estabilidade no emprego, onde a demissão é uma praticamente impossível, independente de sua produção e o modo de como atende a população, sempre tem uma “brecha na lei” que defende essas pessoas, principalmente os que trabalham errado.
Quando conseguem seu objetivo passam a mostrar o quanto são incoerentes: geralmente reclamam dos altos impostos que pagamos e até concordam quando se fala em diminuir os impostos, mas quando sabem que diminuição de impostos é sinônimo de diminuição da máquina pública já recuam e falam que preferem da maneira que está para não “colocar em risco” seus empregos. E ainda por cima são os mesmos que pedem mais impostos, isso mesmo, pedem que a carga tributária continue alta e jamais seja reduzida, se possível pode aumentar, fazem isso quando vão as ruas pedir mais direitos para a “classe trabalhadora” e sempre se gabam falando que estão lutando para defender a mesma. Não tem a mínima decência de falar que defendem sim suas regalias e usam a população como escudo, falam quanto maior a máquina pública melhor para a população, alegam que temos um povo pobre e não tem como pagar por serviços privados, concordo, mas enquanto o Brasil for essa Republica sindicalista a população vai continuar sendo pobre e sustentando as regalias dos políticos e dos funcionários públicos.
Falam que querem lutar para manterem seus empregos, mas por qualquer coisa procuram a justiça para processarem seus chefes imediatos sempre com a esperança de uma indenização. Na verdade, lutam para terem o direito, se é que podemos chamar isso de direito, de processarem seus chefes e suas repartições e não serem demitidos.
Deixo uma dica para esse povo: a melhor forma que tem de manter o emprego é trabalhando e não fazendo “movimentos nas ruas” com faixas e usando a “classe trabalhadora” como escudo para defender seus interesses particulares.
E a coisa piora quando vemos a situação  dos funcionários públicos que são concursados e tem um cargo de confiança e outros os demais que são prestadores de serviços (não concursados), geralmente estão no cargo não por competência e sim por indicação política, infelizmente esses são tratados como mercadorias e até mesmo como verdadeiras máquinas de voto, onde são forçados a participarem de convenções partidárias e de comícios, caso não participem tem seus cargos/empregados ameaçados e além de tudo são forçados a serem cabos eleitorais, mas se submetem a isso sem problema e acham que estão fazendo uma grande coisa.
Para piorar a situação é comum ver vários funcionários tanto públicos quanto privados reclamando dos seus empregos pelo simples fato de terem que cumprirem horário. Fica a pergunta: quer fazer o que da vida?
Interessante também é nesse meio todo o quanto é distorcido o conceito de luta. Para os tais “representantes dos trabalhadores” tem um conceito totalmente distorcido, onde para os mesmos luta é fazer movimentos, fechar ruas, resumindo, fazer badernas. Quem levanta cedo para trabalhar e cumprir seu horário não é lutador e se falar que gosta de trabalhar é intitulado de escravo do sistema. 
Em resumo ninguém pensa mesmo no que é melhor para o País, e sim o melhor para si e tudo as custas da população, tem seus belos discursos, mas não passam de hipócritas, falam sempre em diretos e nunca nos deveres que devem cumprir.
Enquanto tivermos com essa mentalidade, o Brasil jamais será um País desenvolvido.
Joabson João

sábado, 28 de abril de 2018

Quando eu vi o Lula... Eu disse a Deus...


Quando eu vi o Lula apoiar o Aborto de inocentes, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula levantar a Bandeira LGBT e apoiar Casamento Gay, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula apoiar a Marcha da Maconha e a liberação das drogas, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula ameaçar prender Pastores e Padres por não aceitar as práticas homoativistas, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula liberar 300 milhões para "paradas gays", enquanto dizia não ter recurso para saúde, segurança e educação, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula vingativamente prejudicar policiais e beneficiar bandidos, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula apoiar o avanço dos Muçulmanos anti-cristãos no Brasil, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula apoiar a Ditadura genocida na Venezuela, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula ir a Israel e se negar a honrar à memória dos judeus do Holocausto mas, colocou flores para os palestinos terroristas, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula abraçar o Presidente do Irã Ahmadinejad, inimigo declarado de Israel, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula acabar com o Brasil com o Comunismo, eu disse a Deus: "Faz Justiça, Senhor!";

Quando eu vi o Lula se comparar a Jesus, eu disse a Deus: "APRESSA tua Justiça, Senhor!".

E hoje, quando vi Lula preso na Polícia Federal, meus olhos se encheram de lágrimas e lembrei do que disse Jesus em Mateus 5 "Bem-aventurados os que tem fome e sede de Justiça, porque eles serão fartos". E assim eu disse: "Obrigado Senhor, por tua Justiça, reto Juiz dos Juízes."

Engana-se quem acha que a Lava-jato começou em Curitiba. A Lava-jato começou no Céu de Justiça Plena!

(texto de: Ricardo Ribeiro - Jornalista Cristão da AJESP - Associação de Jornalistas do Estado de São Paulo)

(ap. Ely Silmar Vidal - Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP - Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(014) 41 98514-8333 (Oi)
(041) 41 99820-9599 (Tim)
(015) 41 99109-8374 (Vivo)
(021) 41 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 220418 - Quando eu vi o Lula... Eu disse a Deus... - (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
Leia este texto completo e outros em:
www.portaldaradio.com




sábado, 31 de março de 2018

Paulo Pimenta e seu discurso de ódio aos conservadores


Quando o impedimento de livre trânsito é feito pela esquerda é algo bom para a sociedade, mas quando é algo que a linha conservadora esteja fazendo, isso é ruim para toda a sociedade.
A linha de pensamento esquerdopata é doentia e mentecapta e não percebe que jamais poderão fazer algo em prol de uma nação, porque eles pensam até a altura de seus umbigos.
Eles nunca imaginariam a possibilidade de serem investigados, porque isso seria coisa de uma sociedade fascista e ditatorial. Mas alguém que joga um ovo em um cabra que já foi investigado, julgado e condenado por crimes de colarinho branco, e que, ao contrário de estar viajando à custa do povo de um lado para outro e forçando o povo a ouvi-lo, jogar ovo nesse indivíduo é crime, e segundo Paulo Pimenta e a caterva que o segue, tem que ser punido com a cadeia. Lembrem, essa mesma cadeia não serve para eles, porque eles estão acima da lei.
Segundo a ótica esquerdopata, é claro que eles estão acima da Lei e jamais poderão ser julgados, ou mesmo se julgados e condenados, jamais poderão ser presos.
(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)
Contato:
(014) 41 9 8514-8333 (Oi)
(041) 41 9 9820-9599 (Tim)
(015) 41 9 9109-8374 (Vivo)
(021) 41 9 9821-2381 (WhatsApp)
Mensagem 260318 – Paulo Pimenta e seu discurso de ódio aos conservadores – (imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

#COJAE




quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Querem reescrever a nossa História diante de nossos olhos


Não é novidade para ninguém o quanto as instituições estão aparelhadas pela esquerda e querem a todo custo reescrever a história diante dos nossos olhos. Onde os integrantes da esquerda querem aparecer como heróis. Muitos usam uma “linda frase”: “Nossos direitos foram conquistados com muita luta”.
 Basta fazer uma pequena pesquisa na internet e vemos que entre eles tem muitos mentirosos, sínicos e outros que só repetem o que ouviram falar.
Fazendo uma comparação entras as Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS) antigas e as atuais, encontrei uma diferença entre ambas, sei que foi algo quase que imperceptível, mas não fiquei muito surpreso com isso.
Nas CTPS’s antigas (exemplo a minha que foi emitida no ano 2000), tem as informações abaixo:
Decreto lei n°229, de 28 de Fevereiro de 1967, na página 2, que fala sobre a obrigatoriedade da Carteira Profissional para o exercício de qualquer emprego, decreto esse que foi assinado pelo então Presidente H. Castelo Branco.
Decreto 22035, de 29 de outubro de 1932 (que foi revogado pelo decreto de 10 de Maio de 1991), e posteriormente reformulada pelo Decreto-lei, que aprovou a CLT, na página 3, que foi assinado pelo então Presidente Getúlio Vargas
Cita a lei do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) que são as citações:
Lei 5107/66, regulamentado pelo Dec. N°59820/66, nas páginas de 37 a 41, lei essa assinada pelo então Presidente H. Castelo Branco.
Ressaltando que a lei que aprovou a regulamentação do FGTS, e decreto que fala sobre a obrigatoriedade da Carteira de trabalho também foram assinados pelo então Presidente Militar (H. Castelo Branco)
Nas CTPS’s atuais tem apenas a citação:
Decreto 22035, de 29 de outubro de 1932 (que foi revogado pelo decreto de 10 de Maio de 1991), e posteriormente reformulada pelo Decreto-lei n°5452 de 1° de maio de 1943, que aprovou a CLT, na contra capa.
Ou seja, apenas fazem a citação do decreto que foi assinado por Getúlio Vargas, que é tratado como herói por muitos. Querem fazer de tudo para demonizar os militares e até omitirem em documentos decretos e leis que regulamentam leis trabalhistas e até hoje estão em vigor. Tratam os militares como vilões, fazem questão de chamar o período que os militares estiveram no comando do País de “ditadura”, mas hoje se beneficiam de muitos direitos que foram assinados por militares.
Muitos dos que falam que “lutaram por democracia” e pelos “direitos trabalhistas”, estavam sim lutando, mas na guerrilha armada, onde além de receberem ajuda de Países comunistas assaltavam bancos para financiarem a mesma. Hoje muitos desses guerrilheiros estão em cargos públicos se colocando na posição de heróis, mas não passam de sínicos e mentirosos.

Joabson João

domingo, 28 de janeiro de 2018

Desconstruir Lula é a palavra de ordem

Mas desconstruí-lo, não pelo prazer de desconstruir um verme, senão pela necessidade de auto-preservação. Podemos ver, e toda a classe que o defende, também pode observar que Evo Morales, acaba de dar o golpe definitivo na Bolívia, assim como Nicolás Maduro, já havia determinado para a Venezuela. E se alguém ainda tem alguma dúvida acerca dos caminhos que o apedeuta quer tomar para o Brasil, então, neste momento, creio que todos os véus caem. Portanto, vamos mostrar ao mundo, que não estamos aqui para ser cobaia de comunistas de forma alguma, principalmente, porque somos um grande país, e porque temos sim pessoas muito boas à nossa volta, e que aqui, bandidos, vão para a cadeia. (ap. Ely Silmar Vidal - jornalista)
Contato:
(014) 41 9 8514-8333 (Oi)
(041) 41 9 9820-9599 (Tim)
(015) 41 9 9109-8374 (Vivo)
(021) 41 9 9821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 140118 - Desconstruir Lula é a palavra de ordem - (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:


#COJAE





segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Propinas sendo pagas adequadamente

A organização criminosa que atua no Brasil, não funciona diferentemente de todas as outras que atuaram, ou que atuam.
São pessoas que sabem exatamente como, porque, onde, quando e como irão necessitar de dinheiro, ou mesmo de fazer dinheiro e para qual fim.
No governo brasileiro, não tem um, que seja inocente. São todos pessoas muito bem enfronhadas no mundo do crime e sabem exatamente qual é seu papel perante o Foro de São Paulo. Não se faz nada sem dinheiro, e muito menos uma tomada de poder.
A tomada de poder, e a manutenção dessa tomada de poder, envolve a necessidade da compra de favores de muitas pessoas, que estando em postos chave, custam muito dinheiro.
Além disso é claro, necessita-se de dinheiro para a compra de armas, munições e drogas, que servem muito bem ao objetivo de manutenção de poder.
(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)
Contato:
(014) 41 9 8514-8333 (Oi)
(041) 41 9 9820-9599 (Tim)
(015) 41 9 9109-8374 (Vivo)
(021) 41 9 9821-2381 (WhatsApp)
Mensagem 061217 – Propinas sendo pagas adequadamente – (imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.
Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:


#COJAEIntervençãoMilitar



quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Comemorar a consciência negra ou a abolição da escravatura? Qual a forma ideal?

No dia 20 de Novembro, comemora-se o dia da consciência negra. Dia esse que é aniversário da morte de Zumbi dos Palmares, que foi morto em 20 de novembro de 1695. Zumbi dos Palmares é intitulado como ícone de luta contra a escravidão, mas ele nunca lutou contra a escravidão coletiva, sua luta era contra a sua escravidão individual e se tratava de um negro escravista.
“Faz parte da propaganda de certos movimentos negros exaltar a figura de Zumbi como libertador dos escravos. Ora, a ascensão dele se deu após o assassinato do tio: “Depois de feitas as pazes em 1678, os negros mataram o rei Ganga-Zumba, envenenando-o, e Zumbi assumiu o governo e o comando-em-chefe do Quilombo”. (Edison Carneiro, O Quilombo dos Palmares, Ed. Civilização Brasileira, 3a ed., Rio, 1966, p. 35)
Carneiro confirma o governo despótico de Zumbi: “Nina Rodrigues esclarece que nos Palmares havia ‘um governo central despótico’ semelhante aos da África na ocasião”. (idem, p. 4) Não havia liberdade para sair: “Se algum escravo fugia dos Palmares, eram enviados negros no seu encalço e, se capturado, era executado pela ‘severa justiça’ do quilombo”. (idem, p. 4)
Zumbi não tinha pretensões de libertar os escravos – maior mercadoria da África – e mantinha os costumes ali vigentes pelos quais algumas etnias escravizavam os seus inimigos. “
O que realmente deve ser lembrado não como o dia da Consciência Negra e sim o dia da libertação dos escravos é o dia 13 de Maio. Pois foi em 13 de Maio de 1888 que foi assinada pela Princesa Isabel a Lei Áurea, lei essa que libertou os escravos. O que pouca gente sabe é que a Lei Áurea libertou somente 16% dos descendentes de escravos africanos trazidos para o Brasil. A realidade é que, em 1888, 84% dos afrodescendentes brasileiros já tinham sido libertados anteriormente, sobretudo graças às sucessivas leis emancipadoras e, também, à atuação das confrarias religiosas católicas que angariavam donativos para libertar escravos.
Em uma publicação no blog Monarquia Já podemos ver um trecho da Carta da então Princesa Isabel, datada de 11 de Agosto de 1889 endereçada ao visconde de Santa Vitótia onde é revelado o interesse de Dom Pedro II em prover condições dignas aos ex-escravos. O texto defende a indenização aos ex-escravos.
Segue a carta abaixo:
“Fui informada por papai que me collocou a par da intenção e do envio dos fundos de seo Banco em forma de doação como indenização aos ex-escravos libertos em 13 de Maio do anno passado, e o sigilo que o Snr. pidio ao prezidente do gabinete para não provocar maior reacção violenta dos escravocratas. Deus nos proteja si os escravocratas e os militares saibam deste nosso negócio pois seria o fim do actual governo e mesmo do Império e da caza de Bragança no Brazil. (…) Com os fundos doados pelo Snr. teremos oportunidade de collocar estes ex-escravos, agora livres, em terras suas proprias trabalhando na agricultura e na pecuária e dellas tirando seos proprios proventos. Fiquei mais sentida ao saber por papai que esta doação significou mais de 2/3 da venda dos seos bens, o que demonstra o amor devotado do Snr. pelo Brazil. Deus proteja o Snr. e todo a sua família para sempre!”
Três meses após a data dessa carta, a princesa e o Imperador foram depostos e desconhece-se o destinos dos tais fundos.
Fica a pergunta: Quem realmente lutou contra a escravatura?

Fontes:
Cartilha Monarquia


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O importante é a filiação partidária

Imagem: Internet/Reprodução
Cada vez mais me espanto com certos discursos que escuto no meu dia a dia. Ao ouvir os mesmos não sei se intitulo de “inocência”, indignação seletiva, falta de caráter ou hipocrisia mesmo. Se bem que ambos os conceitos se encaixam.
Vejo discursos onde se vê a indignação de algumas pessoas ao ver certo político ou grupo político envolvido em corrupção, discurso esse que é até plausível. Mas na verdade o discurso de indignação é usado pelo simples fato de não simpatizar com o político ou do partido que está envolvido na corrupção. Pois quando é o inverso (simpatiza com o político ou o partido) tudo é tolerado, usa uma “bela desculpa”: mas todos fazem isso. Isso quando não usa o discurso do pelo menos: pelos menos beneficiou um grupo de pessoas, onde o autor do discurso se inclui entre os beneficiados, pelo menos fez isso, pelo menos fez aquilo e assim vai.
Não tem a mínima decência de reconhecer que defende sim a ideologia partidária.
Constantemente ouço uma frase incrível, onde a quem fala essa frase deveria admitir que se tratasse de um mau-caráter mesmo. A frase é: “O PT foi besta ao deixar ser investigado”. Ou seja, deveria continuar roubando.  Mas esse tipo de pessoa é a primeira a ficar “indignada” com a corrupção do PSDB.
Também já presenciei a mesma pessoa criticando um salário de juízes, sempre revoltado. Detalhe: o juiz estudou e muito para chegar até lá. E os mesmos que criticam o salário de juiz defendem a volta de um sindicalista ao poder, um individuo que viveu de fazer greves, nunca trabalhou, mas sempre usou o rótulo de “trabalhador”.
Outra coisa que é bem incoerente é ver a “revolta desses moralistas” quando se ver um governo tomando medidas impopulares. Aceitam sem problema nenhum o argumento do partido o qual tem a simpatia, mas se outro partido usar o mesmo argumento com medidas parecidas, afirma que é mentira e afirma que os dados apresentados são manipulados.
Vi certa revolta devido a afirmação de Temer onde ele defende o estudo no aumento da alíquota do IR, mas será que esse “revoltado” usou o mesmo discurso quando o a bancada do seu partido amado votou a favor da manutenção da CPFM? Na época a CPMF foi rejeitada, mas em compensação veio o IOF. Mas como o que vale no Brasil é a filiação partidária, com certeza passou e os discursos de indignação não foram usados.
Algumas pessoas devem lembrar das MP’s 664 e 665, onde passaram sem problemas nenhum, sem nenhuma discurso contra, me refiro aos “representantes dos trabalhadores” . Tudo pelo fato da filiação partidária de quem sancionou.
Mas quanto à reforma trabalhista de 2017, “os representantes dos trabalhadores” estão organizando até abaixo assinado para a mesma ser revogada. Deveriam ter a decência de falar que na verdade o problema não é a reforma em si, mas a filiação partidária de quem propôs, pois se calaram diante das MP’s 664 e 665.
Há uns dias atrás vi uma postagem no Facebook onde eu poderia até curtir e até mesmo concordar, mas partindo de quem partiu não pude dar crédito. Pois a postagem afirmava: “Se o Brasil fosse um País sério Temer estaria preso”. Concordo, mas não só ele, também Aécio, Lula, Renan Calheiros e os demais outros políticos envolvidos em corrupção. Mas pelo que se percebeu em relação a essa postagem é a insatisfação com a pessoa do Temer, pois se trata de um “golpista”.
Outro dia uma pessoa me enviou a seguinte citação bíblica: Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme. (Pv 29:2). Concordo com a citação, agora falta a pessoa que me enviou esse versículo também concordar, pois dias depois ele me enviou um vídeo elogiando um político que está envolvido em corrupção e foi citado em diversas delações premiadas. Pergunto: O que é ser justo para essa pessoa? Pois em seus gestos e atitudes sempre demonstrou indignação, mas seletiva. Onde o mesmo sempre tolera a corrupção de quem ele tem simpatia política e fica indignado com a corrupção de quem não tem.
A partir desses pequenos exemplos que são comuns vermos no dia a dia, chego à conclusão que não existe nada de indignação com a corrupção ou atos de políticos e sim a filiação partidária de quem comete.


Joabson João 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Trump mostra preocupação com produção de coca na Colômbia em carta a Santos

AFP / SAUL LOEB
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistiu em sua preocupação com o aumento "extraordinário" do cultivo de coca na Colômbia, em uma carta enviada esta semana ao seu contraparte colombiano, Juan Manuel Santos.
Na missiva, datada em 24 de outubro e divulgada nesta sexta-feira (27) pelo governo colombiano, Trump pediu ajuda a Santos para "diminuir a produção e o tráfico de drogas na Colômbia", o maior exportador mundial de cocaína.
O presidente americano citou a declaração que assinou em 13 de setembro na qual manifestava sua inquietação "ante a extraordinária expansão" dos cultivos de coca, e "as possíveis consequências (...) de não deter estas atividades".
"Expressei estas preocupações porque prometi ao povo dos Estados Unidos que impediremos que as drogas traspassassem nossas fronteiras, e preciso da sua ajuda", escreveu Trump.
Santos interpretou a mensagem como um "apoio" e reconhecimento ao "esforço" que o governo está fazendo para erradicar as plantações ilegais, através de uma estratégia que combina acordos de substituição voluntária e erradicação à força.
"Fomos o país que mais lutou nesta guerra contra o narcotráfico, que mais sacrifícios fez. Nenhum país em todo o planeta sacrificou tanto em termos de vidas humanas", declarou Santos em uma conferência de imprensa na sede de governo.
Com 146.000 hectares semeados de folha de coca, a Colômbia foi o principal produtor e exportador de cocaína no mundo em 2016, segundo dados da ONU.
O governo de Santos, que assinou um histórico acordo de paz que permitiu este ano o desarme e transformação em partido político da guerrilha das FARC, implicada no narcotráfico, espera destruir 100.000 hectares de plantações ilegais este ano.


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Meditação em Daniel 6

“Pareceu bem a Dario constituir sobre o reino cento e vinte sátrapas, que estivessem por todo o reino; e sobre eles três presidentes, dos quais Daniel era um; a fim de que estes sátrapas lhes dessem conta, e que o rei não sofresse dano.
Então o mesmo Daniel sobrepujava a estes presidentes e aos sátrapas; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino: Nisso os presidentes e os sátrapas procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino mas não podiam achar ocasião ou falta alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem falta.
Pelo que estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, a menos que a procuremos no que diz respeito a lei do seu Deus.
Então os presidentes e os sátrapas foram juntos ao rei, e disseram-lhe assim: Ó rei Dario, vive para sempre.
Todos os presidentes do reino, os prefeitos e os sátrapas, os conselheiros e os governadores, concordaram em que o rei devia baixar um decreto e publicar o respectivo interdito, que qualquer que, por espaço de trinta dias, fizer uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem, exceto a ti, ó rei, seja lançado na cova dos leões.
Agora pois, ó rei, estabelece o interdito, e assina o edital, para que não seja mudado, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar. Em virtude disto o rei Dario assinou o edital e o interdito.
Quando Daniel soube que o edital estava assinado, entrou em sua casa, no seu quarto em cima, onde estavam abertas as janelas que davam para o lado de Jerusalém; e três vezes no dia se punha de joelhos e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.
Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus.
Depois se foram à presença do rei e lhe perguntaram no tocante ao interdito real: Porventura não assinaste um interdito pelo qual todo homem que fizesse uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem por espaço de trinta dias, exceto a ti, ó rei, fosse lançado na cova dos leões? Respondeu o rei, e disse: Esta palavra é certa, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar.
Então responderam ao rei, dizendo-lhe Esse Daniel, que é dos exilados de Judá, e não tem feito caso de ti, ó rei, nem do interdito que assinaste; antes três vezes por dia faz a sua oração.
Ouvindo então o rei a notícia, ficou muito penalizado, e a favor de Daniel propôs dentro do seu coração livrá-lo; e até o pôr do sol trabalhou para o salvar.
Nisso aqueles homens foram juntos ao rei, e lhe disseram: Sabe, ó rei, que é lei dos medos e persas que nenhum interdito ou decreto que o rei estabelecer, se pode mudar.
Então o rei deu ordem, e trouxeram Daniel, e o lançaram na cova dos leões. Ora, disse o rei a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará.
E uma pedra foi trazida e posta sobre a boca da cova; e o rei a selou com o seu anel e com o anel dos seus grandes, para que no tocante a Daniel nada se mudasse: Depois o rei se dirigiu para o seu palácio, e passou a noite em jejum; e não foram trazidos à sua presença instrumentos de música, e fugiu dele o sono. Então o rei se levantou ao romper do dia, e foi com pressa à cova dos leões.
E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Ó Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? Então Daniel falou ao rei: Ó rei, vive para sempre.
O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, e eles não me fizeram mal algum; porque foi achada em mim inocência diante dele; e também diante de ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.
Então o rei muito se alegrou, e mandou tirar a Daniel da cova. Assim foi tirado Daniel da cova, e não se achou nele lesão alguma, porque ele havia confiado em seu Deus.
E o rei deu ordem, e foram trazidos aqueles homens que tinham acusado Daniel, e foram lançados na cova dos leões, eles, seus filhos e suas mulheres; e ainda não tinham chegado ao fundo da cova quando os leões se apoderaram deles, e lhes esmigalharam todos os ossos.
Então o rei Dario escreveu a todos os povos, nações e línguas que moram em toda a terra: Paz vos seja multiplicada.
Com isto faço um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo, e permanece para sempre; e o seu reino nunca será destruído; o seu domínio durará até o fim.
Ele livra e salva, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou Daniel do poder dos leões.
Este Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario, e no reinado de Ciro, o persa.” – (Dn 6:1-28)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista e Jornalista – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 170917 – Meditação em Daniel 6 – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em: